Rafinha diz que saída de Jesus foi um ‘baque’ e pede tempo para Dome no Flamengo: “Sabe tudo de bola”

Lateral-direito deixou o Flamengo no mês passado para voltar ao futebol europeu

Um mês após deixar o Flamengo para voltar à Europa para defender o Olympiacos, da Grécia, Rafinha abriu o jogo sobre como foi os bastidores da saída do treinador Jorge Jesus no mês de julho e rasgou elogios ao atual técnico Domènec Torrent.

Em entrevista ao ‘Aqui com Benja’, do Fox Sports, o lateral contou que o elenco rubro-negro chegou a cobrar um posicionamento do Mister antes do jogo final do Campeonato Carioca, já que vários veículos portugueses davam a saída do Flamengo como certa. O elenco ouviu do Jesus que não tinha nenhuma negociação e acabou sofrendo grande baque dias depois com o anúncio da saída do treinador.

Foi triste. A gente já estava ouvido falar da saída dele, mas ninguém acreditava. No segundo jogo (da final contra o Fluminense), a gente foi perguntar para ele. Ele não falava nada; não tinha nada certo ainda. (…) Para nós, foi um baque. Era um pai para nós. Foi triste, um golpe muito duro. Acho que a decisão que ele tomou, para vida dele, foi a correta. Espero que ele tenha sucesso“, afirmou Rafinha.

LEIA MAIS:
+ Time da Turquia anuncia contratação por empréstimo de Piris da Motta, do Flamengo
+ Flamengo realiza consulta por lateral da Juventus
+ Dome dispensa hotel e decide morar no CT para buscar o Flamengo ideal

Dono de carreira brilhante na Europa, o atleta de 35 anos diz ter se surpreendido com Jorge Jesus. Ele conta que não espera aprender tanto após anos no mundo da bola e se diz grato ao ‘velhinho’ pelos ensinamentos.

Achava que não ia aprender mais nada, mas aprendi muito. Só tenho a agradecer a aquele velhinho. Foi fundamental para nós. (…) A gente ficava na tensão de sempre estar bem, foi um casamento fenômeno. Aprendi muito com ele. Só tenho a agradecer. Coloco entre os quatro melhores treinadores que eu peguei na carreira“, completou.

RAFINHA PEDE PACIÊNCIA COM DOME

O novo técnico rubro-negro, Domènec Torrent, também se tornou o assunto da entrevista de Rafinha. Afinal, o lateral trabalhou com Dome no Bayern de Munique entre 2013 e 2016 e pede calma para o catalão conseguir implantar sua metodologia de trabalho no Mengão.

É um cara que dispensa comentários. Entende muito de futebol, e tem muito a acrescentar ao Flamengo. Só que é aquele negócio, no futebol brasileiro não tem tempo para nada. Então fica nessa: o cara perde um ou dois jogos e já colocam em dúvida o trabalho dele. Isso não é com o Dome no Flamengo, é com todos os treinadores. Não é assim. Olha só o Liverpool. A gente tem que paciência e saber que precisa de tempo para trabalhar“, defendeu.

Rafinha ainda relembrou que Domènec era o responsável por comandar os treinos do clube bávaro e lembrou que Guardiola lhe dava 100% de moral nas sugestões de mudanças e correções de posições na equipe.

Ele (Dome) dava o treino e o Guardiola só ficava corrigindo. Ele era o responsável por tudo. O Dome, eu falo com propriedade, tinha muita voz. O Pep ouvia muito. Esse cara entende muito de futebol, é muito inteligente, sabe tudo de bola. Veio do Barcelona, teve sucesso, foi para o Bayern e fez sucesso, foi pro City. Ninguém fica tanto tempo com o Guardiola, que é um treinador que está sempre no teto; se não está na perfeição, está ao lado dela. Dava opinião, passava tudo, dava treino, opinião de posicionamento de jogador. Não tem como o Guardiola decidir tudo sozinho, dar conta de tudo sozinho. Dome era influente na decisão do Guardiola“, finalizou.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

O Hashtag Rubro-Negro usa Cookies para aperfeiçoar a experiência dos leitores. Aceita continuar? Aceito Leia Mais