OPINIÃO: Renato pode dar certo, mas escolha mostra falta de convicção no Flamengo

Após a queda de Rogério Ceni, o Flamengo não demorou para anunciar Renato Gaúcho como novo comandante da equipe para o resto da temporada.

Qual teria sido o principal motivo para diretoria Rubro-negra optar pelo ex-atacante? Essa parece ser uma pergunta sem resposta óbvia.

Renato Portaluppi pode dar certo? Claro que pode, assim como outros técnicos menos badalados, mas com um grande elenco nas mãos.

Só que mais uma vez, as pessoas que comandam o futebol do Flamengo mostram falta de criatividade e convicção. Abandonam de vez o “fazer diferente”, como ocorreu na escolha de Jorge Jesus, para escolher o mais óbvio, como foi com Abel Braga, Rogério Ceni e agora.

Ah, mas o Domi era algo diferente… Não basta ser diferente, tem que ter conhecimento e convicção na escolha. Não é nacionalidade, mas é capacidade e análise profunda sobre o profissional escolhido.

A impressão que passa é que se sentarmos na mesa com quem escolheu o como novo comandante do Flamengo e perguntarmos algumas coisas óbvias, não teríamos uma resposta convicta.

Por exemplo: 1- qual estilo de jogo que Renato costuma armar suas equipes? 2 – Quais as variações o time treinado por ele tinha? 3 – Os jogadores do elenco atual se encaixam na forma de jogo do novo treinador?

LEIA MAIS:
Diretor do Flamengo abre o jogo sobre possibilidade de contratar volante
Flamengo e Renato Augusto ‘flertam’ e aguardam definição na China
Saiba até quando vai o contrato de todos os jogadores do Flamengo

Aparentemente, o Fla foi novamente buscar um técnico que se destacou no cenário nacional em um passado não tão distante. Temos que lembrar que os últimos grandes conquistadores, em sua maioria, foram de fora do país.

Fica parecendo que o Flamengo repete a mesma estratégia de quando trouxe Rogério Ceni (resolução rápida, sem outros nomes estudados etc), e que o motivo para escolher Renato é parecido de quando Abel Braga foi escolhido (vestiário, gestão de grupo etc).

O FLAMENGO COM NOVO COMANDO:

Acredito que o Fla possa melhorar até o fim da temporada. O jeitão “Boleiro” do novo treinador e a empatia com parte da torcida podem ajudar. Assim como o estilo mais gestor de grupo. Renato defende atleta, mas também cobra e busca impor respeito e hierarquia.

Sobre campo e bola, a grande missão de Renato será tirar a impressão que muitas vezes o desempenho do time depende mais da qualidade individual dos jogadores do que de como é treinado.

O treinador, que cansou de intitular o seu Grêmio como futebol mais bonito da América do Sul por algumas temporadas, agora tem bastante limão para fazer uma ótima limonada.

Sobre as escolhas do Flamengo para técnico, o tempo vai mostrando que o acerto com Jorge Jesus não foi por convicção, lembrando os outros escolhidos durante a gestão: Abel Braga, Dome, Rogério Ceni e agora Renato Portaluppi.

Cada treinador com estilo de jogo, de gestão e de ideias totalmente distintas um do outro.

Resta aguardar e ver como será o casamento entre o técnico Renato Gaúcho e Flamengo. Como jogador, deu muito certo.

Quer ficar sempre informado sobre as últimas notícias do Flamengo? Siga o #Rubro-Negro em nossas redes sociais: TwitterFacebook, e também no Instagram. Ah, e não se esqueça de se inscrever nas notificações. Para isso, basta clicar no sininho logo abaixo.

Curtiu essa matéria? Siga o jornalista no Twitter – @Allanmadi

Siga também no Facebook: Allan Abi Madi

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

O Hashtag Rubro-Negro usa Cookies para aperfeiçoar a experiência dos leitores. Aceita continuar? Aceito Leia Mais