OPINIÃO: Mesmo com Flamengo desfalcado, Renato poderia ter arriscado mais

Na noite desta quarta-feira (06), o Flamengo empatou com o Red Bull Bragantino por 1 x 1 em São Paulo, perdendo a oportunidade de encurtar a distância para  líder Atlético-MG.

A partida foi marcada pela quantidade de desfalques que a equipe rubro-negra teve. O técnico Renato Gaúcho não contou com os selecionáveis Isla, Éverton Ribeiro, Arrascaeta e Gabigol.

O treinador também teve outras ausências por conta de lesões. Diego Alves (gripado), Gustavo Henrique e Diego Ribas nem foram relacionados. Com desgaste, Filipe Luís ficou no banco de reservas.

Mesmo com todos os problemas, o Flamengo saiu na frente após boa jogada de Vitinho para o gol de Pedro. O centroavante que também perdeu ótima oportunidade minutos antes.

No segundo-tempo, o Fla recuou um pouco e acabou levando o gol de empate após boa jogada do atacante Arthur, do Red Bull Bragantino.

LEIA MAIS:
Flamengo começa o planejamento e tem posição prioritária para 2022
Flamengo acerta renovação com a ‘Geração 85’ e foca em extensão com Arrascaeta
Saiba até quando vai o contrato de todos os jogadores do Flamengo

Mesmo com o time cansado, Renato Gaúcho utilizou apenas duas substituições durante os 90 minutos, abrindo mão de fazer outras três trocas.

Na opinião deste jornalista, o treinador poderia ter arriscado um pouco mais. Sem armadores no banco, Renato poderia ter colocado o jovem Lázaro, que vem sendo grande destaque pelo sub-20 do Flamengo. O meia-armador entrou bem nas poucas oportunidades que Renato deu.

Com Thiago Maia visivelmente cansado durante o segundo-tempo, lembrando que o volante está retornando de lesão, uma boa opções seria João Gomes.

O RB Bragantino explorou o lado direito do seu ataque, com Arthur e Aderlan. Com a dificuldade de marcação pelo lado esquerdo, e com a pouca criatividade na saída da defesa para o ataque, outra substituição que poderia ter acontecido era a entrada do lateral-esquerdo Ramon.

Com o time esgotado, Renato Gaúcho tinha opções para dar mais ritmo e velocidade ao time. O próprio treinador, na coletiva após o jogo, admitiu que as lesões são por conta do desgaste.

– Não temos tempo nem para descansar, nem para dormir direto. Vivemos dentro de hotel e avião. Agora seria o prazo, com os jogos da seleção, teríamos tempo, mas o campeonato não parou (…) É a sequência de jogos (sobre as lesões), o desgaste muito grande. Tem equipe que joga uma vez por semana e tem jogador no departamento médico, duas vezes… Imagine o Flamengo que joga três competições? Sempre procuramos tomar as decisões corretas. Se lá no final do ano acharmos que algum departamento deve ser mudado, as pessoas de cima estão atentas. Mas até agora as decisões tomadas estão certas. O Flamengo disputa três competições e paga um preço muito alto, principalmente por lesões.

Com 39 pontos em 21 jogos, o Flamengo alcançou a vice-liderança do Brasileirão, ficando a 11 pontos do líder Atlético-MG, que tem 50 em 23 partidas.

O Rubro-negro volta a campo no próximo sábado, às 19h (de Brasília), diante do Fortaleza, no Castelão, pela 25ª rodada.

 

Quer ficar sempre informado sobre as últimas notícias do Flamengo? Siga o #Rubro-Negro em nossas redes sociais: TwitterFacebook, e também no Instagram. Ah, e não se esqueça de se inscrever nas notificações. Para isso, basta clicar no sininho logo abaixo.

Curtiu essa matéria? Siga o jornalista no Twitter – @Allanmadi

Siga também no Facebook: Allan Abi Madi

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

O Hashtag Rubro-Negro usa Cookies para aperfeiçoar a experiência dos leitores. Aceita continuar? Aceito Leia Mais