Gabigol revela ter recusado ofertas ‘tentadoras da Europa’ antes de ser comprado pelo Flamengo

Centroavante é uma das principais referências do Flamengo em termos de gols e assistências na temporada de 2020

Após se destacar com 43 gols em 59 jogos em 2019, Gabigol caiu nas graças da torcida do Flamengo, se firmou como uma das principais estrelas e foi comprado junto à Inter de Milhão, da Itália, pela bagatela de 16,5 milhões de euros (R$ 75 milhões). O que fez o camisa 9 ficar no Brasil ao invés de tentar nova aventura na Europa?

Em entrevista ao jornal As, da Espanha, o centroavante do Mengão foi questionado sobre a decisão de permanecer no Brasil e explicou que recusou propostas tentadoras da Europa pela grandeza do clube carioca.

2019 foi um grande ano, o melhor da minha carreira. Houve muitos desafios e conquistas coletivas e individuais. Dei uma grande volta na minha vida pessoal e profissional. Amadureci em todos os sentidos. O Flamengo me ensinou a grandeza do clube, da maior torcida do mundo, o Rio de Janeiro me abraçou de uma forma que fiquei encantado. A entidade se estruturou e formou um elenco muito competitivo, que nos possibilitou ganhar títulos. Claro que tiveram propostas tentadoras da Europa, mas nesse momento senti o desejo de continuar aqui por tudo o que isso representava“, declarou.

Cria das categorias de base do Santos, Gabigol iniciou a sua aventura no futebol europeu em 2016 pela Inter de Milão e depois atuou pelo Benfica, de Portugal, mas não muitas chances de mostrar seu futebol dentro de campo.

Hoje, aos 23 anos, o centroavante diz estar mais preparado para tentar fazer carreira no Velho Continente, mas nega pressa para retornar por estar feliz no Flamengo.

A opção de ir para a Europa vai chegar no momento certo, quando for bom para mim e para o Flamengo. Hoje sinto que estou muito mais preparado para enfrentar os desafios profissionais e pessoais de uma mudança de país“, explicou.

Artilheiro e rei das assistências no Flamengo em 2020, são 11 gols e nove assistências em 14 partidas, o centroavante vive a melhor fase da carreira e se diz grato ao técnico Jorge Jesus por todos os conselhos nos 13 meses juntos no Mengão.

Jorge Jesus me ajudou muito na minha forma de pensar e executar. O futebol é um jogo de 11, e precisamos ter esse conhecimento, pois, com essa maturidade, pude me converter em um jogador completo, tomando sempre a decisão correta para o bem coletivo”, contou o jogador, acrescentando que a “Seleção Brasileira é um objetivo“, finalizou.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

O Hashtag Rubro-Negro usa Cookies para aperfeiçoar a experiência dos leitores. Aceita continuar? Aceito Leia Mais