Ex-goleiro do Flamengo revela que um ‘pum’ em treino tirou Luxemburgo do sério: “Ficou bravo”

Luxa perdeu a linha por entender que ato foi um desrespeito ao seu trabalho no Mengão

Pressionado por dois tropeços, o Flamengo na temporada de 2011 precisava emplacar uma série de resultados para seguir forte na briga por vaga na Libertadores. O técnico Vanderlei Luxemburgo reuniu o elenco no gramado do Ninho do Urubu antes de um jogo contra o Bahia para dar instruções, ouviu um pum daqueles dos mais altos, fedidos, levando o elenco às gargalhadas e ficou bravo.

Quem conta essa história é Vinicius em entrevista ao site Globoesporte.com. Hoje com 35 anos, o goleiro , que é ídolo do Remo e era reserva de Felipe no início da década passada, relembrou que Luxa perdeu a linha com a situação e exigiu saber que foi o autor do som misterioso.

“O professor Luxemburgo chamou o grupo todo no meio do campo, estávamos fazendo uma roda de bobinho. Chegamos todos pra sentar e alguém soltou um peido muito alto (risos). Ele (Luxa) ouviu e ficou mais nervoso porque todo muito riu. Nós tínhamos acabado de sofrer dois tropeços e estávamos brigando por Libertadores. Isso incomodou e ele ficou muito bravo. O professor queria saber quem foi o jogador que soltou esse peido, mas ninguém falava. O grupo era fechado. Ninguém falava e o treino era 10h. Passou uma, duas horas… Já era meio dia e nada de começar o treino. A imprensa toda fora do Ninho esperando começar o treino e aquela confusão do “quem foi?”, mas ninguém falava”, detalhou.

“(Luxa) Saiu para o vestiário e deixou os jogadores todos dentro de campo para saber quem ia falar que soltou esse peido. Foi uma situação engraçada pra nós, mas não para a comissão. Ficou aquela situação desconfortável, ninguém iria entregar o companheiro. Ficou nisso e ele deixou passar”, completou.

O Mengão perdeu para o Bahia em atuação irregular e Luxa passou a ser pressionado por torcida e diretoria. Então, o treinador decidiu levar o elenco para Atibaia, em São Paulo, para período de treinos antes de duelo contra o Corinthians para aproximar os atletas da comissão técnica e acalmar os ânimos.

Entretanto, o comandante rubro-negro não havia esquecido o caso do pum e numa reunião no quarto do goleiro Vinicius chamou os líderes do time para falar do prazer de trabalhar com eles, voltou a questionar quem foi o autor do pum e mais uma vez ficou bravo porque nenhum jogador entregou o companheiro.

“Passaram três ou quatro dias e fomos jogar contra o Corinthians no Pacaembu. Ficamos concentrados em Atibaia. Ele reuniu o grupo de novo no quarto, inclusive foi até no meu. Começou falando que tinha um prazer enorme, que desde a época do Bragantino que escolhia cada jogador a dedo e que queria saber quem soltou aquele peido. Novamente ficamos umas três, quatro horas e ninguém falou (risos). Ele ficou com isso na cabeça e saiu bravo do quarto”, revelou.

O curioso da história é que o próprio Vinicius não sabia quem havia sido o responsável pelo ato que causou a ira em Luxa. Somente um ano depois, em sua saída para o Boavista, é que ficou sabendo num bate-papo com um ex-funcionário do Mengão.

“Fiquei sabendo qual foi o jogador que soltou o peido já quando estava no Boavista. Encontrei o preparador físico e perguntei quem foi, porque eu também estava curioso. Um acusava o outro, mas ninguém queria assumir. Depois eu fiquei sabendo. Até hoje ninguém fala quem foi. As pessoas sabem, mas da boca do dono ninguém vai ouvir”, finalizou.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

O Hashtag Rubro-Negro usa Cookies para aperfeiçoar a experiência dos leitores. Aceita continuar? Aceito Leia Mais