Erros de planejamento causam prejuízo milionário e Flamengo pode passar por desmanche no elenco

Clube aumentou endividamento para montar elenco e venda de jogadores pode ser alívio financeiro

A eliminação do Flamengo nas oitavas de final da Copa Libertadores não apenas terminou com o sonho do tricampeonato da competição como também trouxeram uma grande dor de cabeça financeira ao clube. Como projetava chegar às semifinais do torneio, o time deixa de arrecadar US$ 3,5 milhões (cerca de R$ 18,2 milhões) e aumenta ainda mais o rombo no orçamento previsto para 2020.

De acordo com a previsão realizada pelo departamento financeiro do clube no início deste ano, o Flamengo projetava chegar à semifinal da Libertadores e à decisão da Copa do Brasil. Com a queda precoce nos dois torneios, o prejuízo acumulado chega aos R$ 47 milhões.

Havia uma projeção, inclusive, de que o clube lucrasse R$ 283 milhões em premiações e direitos de transmissão, um aumento de 2,5% em relação ao arrecadado em 2019, com todos os títulos que conquistou. E vale lembrar que o rubro-negro partiu com uma diferença de R$ 15 milhões a menos em relação ao ano anterior, devido ao término do contrato de transmissão do Campeonato Carioca com a Rede Globo.

LEIA MAIS
+ Léo Pereira entra na mira do Benfica, que estuda oferta oficial

O orçamento de 2020 previa um lucro de R$ 200 milhões no ano. Porém, com a pandemia, o Flamengo viu algumas de suas principais receitas, como bilheteria e programa de sócio-torcedor, caírem vertiginosamente. Com isso, o balancete do 3º trimestre demonstrou um déficit de R$ 19 milhões no ano, até o momento.

Soma-se a isso, o alto investimento que o clube fez no futebol. Em 2019, a diretoria rubro-negra decidiu ir em um movimento contrário à tendência dos anos anteriores e aumento o endividamento do clube. Para poder montar o time campeão da Libertadores e do Brasileirão, o Flamengo viu sua dívida crescer de R$ 287 milhões em 2018 para R$ 338 milhões em 2019.

Como comprou quase todos os jogadores de forma parcelada, o rubro-negro ainda não se livrou dos pagamentos pelas aquisições de atletas. O clube ainda tem R$ 151 milhões a pagar pela compra de direitos federativos de jogadores. E para completar o aperto financeiro, o câmbio ainda disparou, aumentando os custos destes atletas. Se no orçamento o euro estava cotado a R$ 4,42, agora a moeda europeia está cotada a R$ 6,28.

Flamengo pode ter que vender jogadores

Para equilibrar as contas, muito provavelmente o Flamengo terá de recorrer à venda de jogadores e pode se desfazer de algumas peças importantes do elenco. E lembrando que por conta da pandemia, o clube negociou muitos jogadores (a maioria das categorias de base) para aliviar as contas.

Alguns atletas rubro-negros já têm despertado interesse de clubes estrangeiros há um tempo. Um dos casos é o volante Gerson, que chegou a ter uma proposta recusada no meio do ano. A expectativa do clube era de receber uma oferta de € 35 milhões (cerca de R$ 220 milhões na cotação atual), que nunca chegou. No radar de grandes clubes europeus, o camisa 8 pode ser um dos negociáveis para equilibrar as contas na Gávea.

Outro jogador que tem atraído a atenção de clubes de fora é o uruguaio Giorgian De Arrascaeta. Em setembro, o Flamengo recusou uma proposta de € 14 milhões (cerca de R$ 88 milhões) do Al-Nasr, da Arábia Saudita, pelo meia. O jogador também desperta o interesse de clubes, especialmente do mercado asiático.

Dentre as estrelas do time, Everton Ribeiro também teve propostas recusadas nos últimos meses, mas por valores mais modestos. A maior delas foi de US$ 4 milhões, do Al-Nasr, dos Emirados Árabes Unidos.

Outros dois atletas que tiveram seus nomes vinculados a outros clubes recentemente foram os atacante Vitinho e Lincoln. O camisa 11 teve uma proposta de R$ 27 milhões de um clube árabe recusada em setembro, enquanto Lincoln esteve ligado ao Grupo City (que também levou os jovens Caio Roque e Vinícius Souza) e ao Lokomotiv Moscou.

Problemas para compra de atletas emprestados

O desmanche parece inevitável. Isso porque, além da provável venda de jogadores do elenco principal, o Flamengo terá dificuldades para segurar os atletas que têm contratos de empréstimo com o clube.

Com vínculo até o dia 31 de dezembro (lembrando que a temporada atual termina em fevereiro por conta da pandemia), o atacante Pedro tem seu passe fixado em € 14 milhões. O rubro-negro tenta negociar o parcelamento com a Fiorentina, mas o clube italiano segue irredutível. Para exercer seu direito de compra, o Fla tem até o fim do ano para depositar o valor à Viola.

Já o atacante Pedro Rocha, cujo contrato também termina em 31 de dezembro, tem o passe fixado em € 8 milhões. Porém, o histórico de lesões (o atacante fez apenas 10 jogos pelo rubro-negro) e o alto salário podem fazer o Flamengo desistir inclusive de tentar a prorrogação do empréstimo junto ao CSKA.

O outro atleta que está cedido ao clube carioca é o volante Thiago Maia, que se recupera de uma lesão no joelho e deve ficar um longo tempo fora de ação. Com contrato até o meio de 2021 e passe fixado em € 7 milhões, o Flamengo tem um tempo maior para negociar uma possível compra com o Lille

Siga o Hashtag Rubro-Negro nas redes sociais também:

Twitter: https://twitter.com/hashtag_RN

Facebook: https://www.facebook.com/hashtagrubronegro

Instagram: https://www.instagram.com/hashtagrubronegro/

YouTube: https://bit.ly/30Y8Ll4

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

O Hashtag Rubro-Negro usa Cookies para aperfeiçoar a experiência dos leitores. Aceita continuar? Aceito Leia Mais