CBF anuncia linha de crédito de até R$ 100 milhões para clubes da Série A

Entidade irá disponibilizar 'empréstimo' para os clubes quitarem as dívidas do período da pandemia

Pensando em ajudar os clubes da Série A do Campeonato Brasileiro de 2020 a aliviarem as dívidas devido à pandemia do novo coronavírus, a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) irá disponibilizar uma linha de crédito de até R$ 100 milhões, a juros zero. A medida foi anunciada na tarde desta segunda-feira (8).

De acordo com comunicado da entidade máxima do futebol nacional, os recursos serão liberados aos times tendo como garantia as quantias a receber referentes ao contrato de direitos de transmissão das competições que disputam e prêmios por desempenho nesses campeonatos.

Os valores sairão integralmente do caixa da CBF, de forma imediata” informou a CBF, em nota.

+ Compare a audiência do Flamengo com os rivais nas reprises da Globo

O adiantamento é uma forma de ajudar as equipes a recuperarem parte da perda de arrecadação dos valores pagos por direitos de transmissão no trimestre que vai de abril a junho, além de outras fontes de receita, como bilheteria, programa de sócio de torcedor e patrocínios.

A CBF sabe que os clubes são a base de toda a indústria do futebol e que eles tem sofrido grandes impactos com a paralisação das competições provocada pela epidemia de Covid-19”, diz o presidente da entidade, Rogério Caboclo. “Por isso, temos procurado todas as formas de apoiar os clubes nesse momento difícil”, completa. “Não basta que voltem as competições. Precisamos de clubes capazes de retornar a elas de forma competente”, conclui Caboclo.

FLAMENGO FEZ EMPRÉSTIMO HÁ QUASE DOIS MESES

Os impactos da pandemia do novo coronavírus fizeram a diretoria do Flamengo recorrer a um empréstimo de R$ 40 milhões junto ao Banco Santander na metade do mês de abril.

O empréstimo foi necessário já que as finanças do Mengão foram prejudicadas pelo rompimento do patrocínio da Azeite Royal e o não recebimento do valor da parceria com a Adidas. Estima-se que a soma dos dois casos tenha feito o clube deixar de arrecadar R$ 15 milhões.

Em entrevista à Fla TV, o vice-presidente de relações externas, Luiz Eduardo Baptista, o Bap, explicou que o empréstimo se fez necessário para não faltar “oxigênio” no caixa do clube.

Saiu na mídia que o Flamengo tomou uma linha de crédito como se o Flamengo tivesse em algum problema financeiro. Mas a gente não sabe o que vem pela frente. Temos que proteger o caixa para seguir cumprindo com os nossos compromissos. Foi por isso que tomamos essa decisão antes de outros clubes. Não tomamos dinheiro porque estamos quebrados, e sim para ter um extra, um balão de oxigênio, para não tropeçar“, garantiu o dirigente.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

O Hashtag Rubro-Negro usa Cookies para aperfeiçoar a experiência dos leitores. Aceita continuar? Aceito Leia Mais