Braz diz o que teria feito de diferente na temporada 2020

Dirigente não teria contratado Dome após a saída de Jorge Jesus e explicou o motivo

A temporada 2020 do Flamengo terminou com o título do Brasileirão de forma dramática. Porém, durante o ano houve muita contestação na diretoria, nos treinadores e no elenco. Em entrevista no programa Dividida, do UOL Esporte, o vice-presidente Marcos Braz revelou a única coisa que ele teria feito de diferente em 2020.

“Acho que com a tamanha incerteza que nós tínhamos com essa pandemia, mas naquele momento, em função do calendário e um monte de outras situações, acho que traria um técnico brasileiro depois do Jorge Jesus. Nada tem a ver com a escolha do Dome. É em relação a ele ou qualquer outro estrangeiro. Em função do contexto de tudo que estava acontecendo e de coisas que eu não posso falar aqui, não traria um técnico estrangeiro depois do Jesus. Isso que eu faria diferente”, disse Braz.

Braz explica plano do Flamengo para grandes contratações e não teme perda de jogadores

O dirigente também explicou os fatores do técnico Domènec Torrent não ter tido êxito no futebol brasileiro e comparou com a chegada de Jorge Jesus.

“Uma lição que eu aprendi na temporada é em relação à contratação de técnico estrangeiro. Quando você contrata um técnico estrangeiro, você tem que ampliar sua comissão, não se apegar a números e deixar a pessoa mais tranquila possível. Tinha um posicionamento nosso quando o Jorge veio com sete ou oito pessoas que a gente achou excessivo, mas não foi, foi necessário”, analisou.

Siga o Hashtag Rubro-Negro

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

O Hashtag Rubro-Negro usa Cookies para aperfeiçoar a experiência dos leitores. Aceita continuar? Aceito Leia Mais