Adversário do Flamengo no retorno ao Carioca, Bangu tem protocolo inspirado na Alemanha

Alvirrubro tem profissionais hospedados em hotel, exames diários e recebeu elogios do rival desta quinta-feira

O Flamengo foi o time do Rio de Janeiro que fez maior pressão para o retorno das atividades no futebol Carioca. Mostrando um protocolo quase impecável, o clube rubro-negro se considera um exemplo para as outras áreas da sociedade. A pergunta que paira no ar é: e quais são os protocolos adotados pelos clubes de menor investimento?

O Hashtag Rubro-Negro entrou em contato com o Bangu, adversário do Flamengo nesta quinta-feira (18) para saber como o alvirrubro da Zona Oeste tem atuado para a prevenção da Covid-19.

Confinamento em hotel e exames diários

O Bangu retornou aos treinos presenciais no estádio de Moça Bonita no dia 26 de maio. Desde então, o grupo que participa do dia a dia dos treinamentos está confinado em um hotel na Zona Oeste do Rio de Janeiro, em quartos separados. A ideia é que eles permaneçam até o final da participação do clube no Estadual.

Desde o reinício dos treinos presenciais, o grupo de 39 profissionais foi testado três vezes para o novo coronavírus. Não foi detectado nenhum caso positivo em nenhuma das baterias. Além disso, sete atletas, três membros da comissão técnica e dois funcionários tiveram detectado IgG positivo, ou seja, tiveram contato com o vírus anteriormente e estão imunes.

Além das baterias de testes de Covid-19 já realizadas, diariamente o grupo é submetido a exames de temperatura e responde a um questionário elaborado pelo departamento médico.

O Bangu também disponibiliza álcool 70%, espaços para lavar as mãos com água e sabão no estádio de Moça Bonita e fez distribuição de máscaras faciais.

+ Flamengo e Globo não entram em acordo e jogos no Carioca podem seguir sem TV

Treinos nos moldes da Alemanha

Com o retorno às atividades presenciais em 26 de maio, o Bangu tem adotado protocolos semelhantes aos que foram adotados pelos clubes na Alemanha. Até o momento, o grupo não realizou trabalhos coletivos.

O elenco de 23 jogadores é separado em dois grupos em dois turnos de horários diferentes. Os atletas realizam trabalhos espelhados, respeitando um distanciamento mínimo de 2 metros. Os equipamentos de treinos são constantemente higienizados e não há compartilhamento de garrafas de água e outros utensílios.

O deslocamento dos profissionais do hotel em que estão hospedados para o estádio de Moça Bonita em vans contratadas pelo clube e que são higienizadas antes e após o transporte.

Programa de treinos do Bangu

Durante toda a paralisação, mesmo com as férias dadas aos jogadores de todos os clubes até 30 de abril, o Bangu realizou acompanhamento físico e nutricional dos atletas com os preparadores físicos Fabrício Abreu e Gustavo Teixeira, e com o nutricionista Felipe Abreu.

Do dia 7 de maio ao início dos treinos presenciais, o clube fez trabalhos coletivos virtuais diariamente, através de um aplicativo de chamadas pela internet. Os treinos eram acompanhados pelo treinador Eduardo Àllax,  o auxiliar técnico Wagner Duarte, assim como os preparadores físicos Fabrício Abreu e Gustavo Teixeira, o fisiologista Bruno Barrosa, o analista de desempenho Alexandre Calango, o nutricionista Felipe Abreu e membros do departamento médico do Bangu.

“Temos um horário diário marcado em que os atletas se encontram comigo e com os membros da comissão para poder desenvolver o treinamento. Para cada proposta de treinamento foi montado um vídeo demonstrativo de atividades. No momento em que a atividade começa, eu coordeno a minutagem do treino e os membros da comissão auxiliam na correção postural de movimentos”, explicou Fabrício Abreu ao site oficial do clube alvirrubro.

Durante o período de treinos virtuais, o estádio de Moça Bonita foi higienizado quatro vezes, pelas normas da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), com solução de quaternário de amônia de quinta geração, que possui alto poder contra fungos, bactérias e vírus.

Elogios do Flamengo ao protocolo do Bangu

O protocolo rígido de prevenção ao novo coronavírus adotado pelo alvirrubro rendeu elogios do rival desta quinta-feira. O diretor-executivo do Flamengo, Bruno Spíndel, elogiou o esforço realizado pelo Bangu.

“O protocolo tem tido o mesmo resultado no Bangu, com a desinfecção do local de treinamento, do hotel. Eles têm testado os atletas toda semana como manda o protocolo. É um exemplo muito bom de um clube que tem seguido o protocolo à risca. A Portuguesa também teve os melhores resultados possíveis e já voltou aos treinos, por exemplo. A Ferj tem ajudado muito os clubes de menor investimento”, afirmou o dirigente rubro-negro,  em entrevista ao programa Seleção SporTV.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

O Hashtag Rubro-Negro usa Cookies para aperfeiçoar a experiência dos leitores. Aceita continuar? Aceito Leia Mais